Proactive

Bella Bonina, beleza e sustentabilidade na zona sul de São Paulo

Desde 2017, quando se tornou Empreendedor AQUA, a Trisul está comprometida em presentear a cidade de São Paulo com edificações verdes: prédios saudáveis que promovem bem-estar para os seus moradores, geram economia de água e energia para o construtor e para os ocupantes e preservam o meio ambiente.

Localizado num local estrategicamente privilegiado, no bairro Mirandópolis, região sul de São Paulo, o Bella Bonina é mais um empreendimento certificado AQUA-HQE pela Fundação Vanzolini, terceiro certificado na fase Execução.

A linda fachada verde do edifício vai valorizar ainda mais o bairro, pois está comprovado, as plantas nas fachadas contribuem positivamente para as nossas funções cognitivas e reduzem o estresse.

Trisul_Boninas_Fachada_HR_

A preparação para a certificação de um edifício começa desde o pré-projeto, fase em que todas as decisões são tomadas junto com a equipe multidisciplinar da obra, arquitetos, engenheiros e projetistas.

O canteiro de obras de uma edificação sustentável é uma página à parte. Durante toda a obra, a equipe de consultores da proActive Consultoria acompanha o andamento e a aplicação dos requisitos de sustentabilidade, são gerados relatórios de indicadores ambientais relacionados aos consumos de água, energia e geração de resíduos possibilitando a criação de um histórico de indicadores de obra que pode ser utilizado para o orçamento destes itens em futuros projetos.

No caso do Bella Bonina os índices são excelentes, 92,19% de beneficiamento de resíduos no canteiro de obra e economia prevista de 42,48% de água – com reuso de água cinza – e 26,56% de energia na fase de operação e uso.

Itens de sustentabilidade, adotados no Bella Bonina:

  • Medição individualizada de água;
  • Sistema de reuso de água;
  • Dispositivos economizadores de água;
  • Dispositivos economizadores de energia;
  • Infraestrutura para aquecimento solar da água;
  • Lâmpadas eficientes;
  • Coleta seletiva de resíduos;
  • Ponto elétrico para recarga de bicicletas elétricas;
  • Ponto elétrico para recarga de veículos elétricos;
  • Vaga passível de utilização de ambulância;
  • Tratamento acústico;
  • Tratamento térmico;
  • Equipamentos eficientes;
  • Materiais sustentáveis.

O processo de implantação da certificação AQUA-HQE num projeto arquitetônico é longo e exige comprometimento e muito trabalho de toda a equipe, e os itens acima são cuidadosamente pensados e preparados para o melhor desempenho do edifício.

No mês em que a proActive Consultoria completa 19 anos de existência, casos com o Bella Bonina são um presente para nós, pois vemos os Clientes que acreditaram no nosso trabalho colhendo os frutos dos seus investimentos.

Sustentabilidade Efetiva.

Redução de Consumo de Água e Energia nas Construções Sustentáveis.

 

As certificações ambientais voltadas ao mercado da construção civil vêm apresentando uma linha de crescimento constante nos últimos anos, no Brasil e pelo mundo afora. O Brasil está na relevante 4ª posição no ranking de construções sustentáveis, atrás apenas de Estados Unidos, China e Emirados Árabes.

As certificações ambientais já estão bastante disseminadas nas incorporações comerciais; e, têm crescido, ano a ano, a procura para se integrar soluções sustentáveis em empreendimentos habitacionais.

 

Crescimento das certificações habitacionais no Brasil

Os gráficos, a seguir, ilustram o crescimento das certificações nos últimos anos. A Certificação AQUA-HQE, de origem francesa, chega ao seu 10º ano de atuação no mercado com a marca de 505 edifícios certificados. A Certificação LEED, por sua vez, em seu 12 º ano no Brasil, possui 536 empreendimentos certificados; apresentando um número crescente de projetos registrados no processo de certificação; hoje, 1355.

 

Certificação AQUA-HQE 

grafico 1

Fonte: Fundação Vanzolini (Fevereiro, 2019)

 

Certificação LEED

2

Fonte: GBC BRASIL (2018)

 

Esse crescimento mostra que o mercado da construção coloca um novo olhar sobre as questões da sustentabilidade, como uma forma de minimizar os impactos ambientais causados pelo setor; ou seja, garantir o crescimento, respeitando o planeta.

Algumas práticas sustentáveis já estão bem absorvidas pelos incorporadores e construtores, outras mais inovadoras ainda estão sendo incorporadas aos projetos gradualmente. Listamos abaixo algumas soluções indicadas para prédios verdes:

 

Soluções adotadas para a economia de água:

  • Bacia com duplo acionamento;
  • Metais sanitários eficientes (Exemplo: Restritores de vazão e arejadores);
  • Torneira com fechamento automático nas áreas comuns;
  • Paisagismo com especificação de espécies nativas ou adaptadas, com necessidade limitada de irrigação e manutenção;
  • Conscientização dos usuários (Exemplo: Inserir boas práticas no Manual do Proprietário);
  • Torneiras de uso restrito nas áreas comuns quando não forem para uso dos moradores;
  • Redutoras de pressão regulando para uma pressão máxima de 30mca nos pontos de consumo;
  • Medição Individualizada e ao menos dois medidores na área comum;
  • Aproveitamento de águas pluviais;
  • Reuso das águas servidas domésticas;
  • Temporizador para chuveiro;
  • Sistema de irrigação de alta eficiência, automatizado com sensor de chuva e umidade.

 

Soluções adotadas para otimizar a gestão de resíduos e permitir sua valorização:

  • Área para armazenamento de resíduos recicláveis e orgânicos com dimensionamento adequado ao número de ocupante e coleta externa;
  • Soluções para facilitar limpeza e manutenção dos depósitos de resíduos (Exemplo: revestimento cerâmico no piso e paredes, ponto de água, ralo sifonado e ventilação adequada);
  • Limitar as dificuldades no percurso dos resíduos (degraus, rampas com inclinação acentuada);
  • Conscientização dos usuários (Exemplo: Inserir boas práticas no Manual do Proprietário);
  • Área para armazenamento de resíduos nas unidades habitacionais;
  • Área para armazenamento de itens volumosos;
  • Área para armazenamento intermediário de resíduos em cada pavimento tipo;
  • Lixeiras para coleta seletiva entregues para os proprietários;
  • Carrinho elétrico nas áreas comuns para facilitar o transporte;
  • Área para caçamba;
  • Compostagem;
  • Lixeiras compactadoras.

 

Soluções adotadas para a economia de energia:

  • Características do edifício adequadas ao contexto climático;
  • Privilegiar iluminação natural;
  • Adoção de densidade de potência nos ambientes abaixo dos parâmetros máximos do Procel nível A;
  • Utilização da etiqueta de eficiência energética como referência na escolha dos equipamentos;
  • Bombas que atendam preferencialmente ao nível A em eficiência energética;
  • Conscientização dos usuários (Ex.: Inserir boas práticas no Manual do Proprietário);
  • Recomendação no manual do proprietário para adquirir aquecedores à gás com nível A em eficiência energética;
  • Aparelhos de Ar Condicionado que atendam ao nível A;
  • Lâmpadas LED e acionamento automático por sensores de presença e fotocélulas;
  • Elevadores com Drive ReGen;
  • Aquecimento solar de água nas unidades habitacionais e piscina;
  • Utilização de fonte alternativa de energia.

 

Indicadores relevantes

Integradas essas soluções ao edifício é possível monitorar as economias proporcionadas. Há mais de uma década a proActive Consultoria monitora os indicadores referentes ao consumo de água, energia e beneficiamento de resíduos nas diferentes tipologias, em empreendimentos certificados com as chancelas sustentáveis tanto com relação à economia prevista durante o uso e operação, quanto na fase de obra.

 

Resultados Expressivos

Os resultados apurados de economia de água, energia e beneficiamento de resíduos são expressivos, mas devemos ressaltar que as reduções de consumo são otimizadas por uma associação das tecnologias existentes – sempre em evolução – com a gestão correta por parte dos empreendedores e usuários; sem falar de um tópico muito importante, a conscientização e capacitação dos usuários para operar adequadamente as soluções tecnológicas implantadas no edifício na fase de operação e uso.

 

  • Fase Projeto – redução de consumos de água e energia previstos durante o uso e operação do edifício

         grafico 3

  • Fase obra – Valorização de resíduos e consumos de água e energia durante a execução

         grafico 4

Os índices de redução de consumo de temas críticos para o equilíbrio do planeta, como água, energia e a valorização dos resíduos, apresentados nas tabelas acima e colhidos em anos de trabalho e dedicação ao tema da sustentabilidade, servem como motivação para que cada vez mais as empresas invistam nas melhores práticas para a construção de prédios sustentáveis.

Além dos resultados mensuráveis, inúmeros são os ganhos imensuráveis para o meio ambiente e a qualidade de vida dos habitantes de uma cidade que se dedica à sustentabilidade.

Que a inquietação intima de cada ser humano de fazer o melhor para o nosso mundo impulsione os vários setores da sociedade a trabalhar cada vez mais em prol de cidades mais humanas, agradáveis de se viver e com pessoas participativas e felizes.

PBQP-H 2016 e o Novo Regimento do SiAC

O PBQP-H– Programa Brasileiro da Qualidade e Produtividade do Habitat é um instrumento do Governo Federal, que tem por meta organizar o setor da construção em torno de duas questões principais: a melhoria da qualidade no habitat e a modernização produtiva. Com este objetivo, foi divulgado no diário oficial da União em 09 de janeiro de 2017 a portaria nº 13, DE 06 de janeiro de 2017, referente à atualização do SiAC – Sistema de Avaliação da Conformidade de Empresas de Serviços e Obras da Construção Civil.

pbqph_d275 (1)

O SiAC integra o Programa Brasileiro da Qualidade e Produtividade do Habitat –PBQP-H e foi adequado aos requisitos e critérios de desempenho da Norma Técnica ABNT 15.575:2013, a qual passou a ser exigida em 19 de julho de 2013, para priorizar o bem-estar dos usuários das unidades habitacionais.

Por quê certificar?

Mais de 3 mil empresas estão ativas no PBQP-H atualmente.

A implantação do PBQP-H possibilita às empresas, através do Sistema de Gestão da Qualidade, estabelecer e monitorar padrões de qualidade na compra de materiais e qualificação da mão de obra. Os seus indicadores de Sustentabilidade na gestão sustentável da água, na gestão eficiente da energia e as boas práticas no canteiro de obras trazem eficiência para a práticas diárias, que impactam positivamente no cumprimento dos prazos e no custo final da obra.

Para as construtoras que querem fazer parte do programa Minha Casa Minha Vida, do governo federal, o PBQP-H é item obrigatório.

O PBQP-H também é solicitado nas licitações municipais e estaduais e em algumas instituições financeiras, públicas e privadas, para liberação de linhas de crédito.

O que mudou?

A principal mudança é o alinhamento com a norma ABNT 15.575:2013, dessa forma, as empresas que aderirem ao PBQP-H também devem estar de acordo com os procedimentos exigidos por essa importante norma.

Foi excluído o nível de Adesão, a partir de agora as empresas escolhem se vão certificar pelo Nível “B” ou Nível “A”. No nível “A” é necessário implantar 100% dos requisitos normativos, já no nível “B” devem ser implementados 75% dos requisitos.

Outras mudanças são relativas às documentações e à entrada de projetos, no qual as empresas devem indicar para os empreendimentos habitacionais os níveis de desempenho, M –Mínimo, I – Intermediário e S – Superior.

Como se Adequar?

Foi estabelecido um prazo de 180 dias para os Organismos de Avaliação das Conformidades – OAC´s, se adequarem ao novo regimento. Dessa forma, desde julho/17, as auditorias e certificações já estão de acordo com o novo Regimento do SiAC.

As certificações emitidas com a versão 2012 do SiAC terão validade de 1 ano a partir da data da nova portaria do SiAC 2016, ou seja até 09/01/2018. Dessa forma, é necessário que as empresas já certificadas comecem rapidamente a se planejar para atualizar seu SGQ, fazendo uma análise da situação atual e definindo um plano de ação.

Com um bom planejamento as empresas devem ficar em dia com as atualizações do PBQP-H e estarem mais preparadas para os desafios de um mercado altamente competitivo.

Dom Batel – Primeiro Edifício Habitacional com Certificação AQUA na Região Sul

Dom-OK_CS4

A sustentabilidade na construção civil está cada mais consolidada. É crescente a preocupação de grandes empresas em investir em ações que reduzam o impacto ambiental de suas obras. Dentro dessa nova diretriz, as certificações ambientais estão sendo incorporadas desde as fases iniciais dos projetos.

 A Cyrela é uma grandes construtoras a trilhar esse novo caminho, e com a assessoria da proActive Consultoria, acaba de receber da Fundação Vanzolini a certificação AQUA-HQE – Alta Qualidade Ambiental, pelo empreendimento Dom Batel. Localizado em Curitiba, o projeto é o primeiro de toda a região Sul do País a conquistar o Selo na Categoria Habitacional.

Silvia Fernandes, Gerente de Incorporação da Cyrela, lembra que “Desde as premissas iniciais, como a localização do empreendimento, orientação solar e estudo da fachada, os aspectos ambientais foram levados como prioridade pela empresa, com o objetivo de buscar a excelência ambiental”.

Informação e Interatividade

A sensibilização dos funcionários para as questões ambientais foi fundamental para o perfeito desempenho dos objetivos iniciais, a Cyrela investiu em treinamentos para a equipe e foram abertos canais de comunicação específicos.

A interação também contemplou a vizinhança. O Interlocutor Ambiental teve a responsabilidade tanto de receber as questões dos moradores do bairro quanto de informá-los das diversas fases da obra, garantindo assim o compromisso da empresa em minimizar os impactos negativos e valorizar a região do prédio.

Canteiro de Obra em Nível de Desempenho Excelente

Dentre as diversas medidas implementadas a partir do perfil Ambiental do DOM Batel, as práticas sustentáveis no canteiro de obra merecem destaque: menor produção de resíduos e valorização dos resíduos gerados através da reciclagem; controle e economia do consumo de água e de energia, a partir de ações sustentáveis como, aproveitamento da água da chuva, instalação de telhas translúcidas e, ainda, a conscientização da equipe. Além disso, os fornecedores de materiais e serviços foram informados das responsabilidades e objetivos relativos à certificação AQUA-HQE, comprometendo-se a cumpri-las.

Segundo a diretora da proActive, Ana Rocha Melhado “o projeto foi concebido visando a redução do consumo de água de energia na fase de Operação de Uso, foi priorizado o conforto daqueles que vão morar e trabalhar no empreendimento, gerando um menor impacto ambiental, tanto na fase de execução como de operação”.

Benefícios para todos

Os futuros moradores do DOM Batel, também vão se beneficiar pela economia de água (40%) e de energia (23%) nos seus apartamentos e nas áreas comuns do prédio. Vão morar em um condomínio sustentável, isso porque a escolha dos materiais e processos construtivos da obra baseou-se na funcionalidade, adaptabilidade e durabilidade do edifício. Além disso, através dos requisitos da Certificação AQUA-HQE, o edifício foi todo pensado para trazer conforto térmico, acústico e luminoso para seus usuários, o que significa ambientes mais frescos no verão e mais quentinhos no inverno, por meio, por exemplo, do privilégio da iluminação natural.

Para Silvia Fernandes “Lançar um produto visando uma certificação ambiental AQUA torna-o diferenciado no contexto atual do mercado imobiliário”.

Temos assim um produto que gera menos impacto ambiental para o meio ambiente, mais valorizado para o empreendedor e comprador, além de proporcionar maior qualidade de vida e conforto para os usuários. Todos saem ganhando com as construções sustentáveis!

Destacam-se as seguintes soluções, que foram implementadas no DOM Batel:

  • Medição individualizada de água;
  • Recirculação de água quente;
  • Sistema de aproveitamento de águas pluviais;
  • Infraestrutura de Irrigação dos jardins;
  • Dispositivos economizadores de água;
  • Dispositivos economizadores de energia;
  • Coleta seletiva de resíduos, incluindo os perigosos como pilhas e baterias;
  • Favorecimento da ventilação e iluminação natural; e,
  • Tratamento térmico da laje de cobertura.

O selo AQUA-HQE

A Certificação AQUA-HQE – Alta Qualidade Ambiental foi desenvolvida a partir do selo francês Démarche HQE (Haute Qualité Environnementale) pela Fundação Vanzolini. A ideia de adaptar a certificação para realidade brasileira nasceu a partir do projeto de pós doutoramento de Ana Rocha Melhado, hoje diretora da proActive Consultoria. O processo AQUA-HQE possui 14 preocupações ambientais, que contemplam todas as diretrizes para o Alto Desempenho Ambiental dos empreendimentos, minimizando os impactos ao meio ambiente e garantindo o conforto e qualidade de vida dos seus usuários.

TRISUL S.A. recebe Certificação de Empreendedor AQUA

No ano em que completa 10 Anos, Construtora recebe certificação de Alta Qualidade Ambiental da Fundação Vanzolini

 

TRISUL

 

No ano em que completa 10 anos a Trisul S.A. conquista o título de Empreendedor AQUA, a empresa é a terceira a receber o Selo em todo o Brasil. A Trisul atua com muito êxito na incorporação e construção de empreendimentos de médio e alto padrão e desde 2007, ano em que abriu capital na bolsa de valores, vem desenvolvendo um sólido trabalho respaldado por valores éticos, transparência e respeito ao meio ambiente.

A Certificação AQUA-HQE – Alta Qualidade Ambiental foi desenvolvida a partir do selo francês Démarche HQE (Haute Qualité Environnementale) pela Fundação Vanzolini. A ideia de adaptar a certificação para realidade brasileira nasceu a partir do projeto de pós doutoramento de Ana Rocha Melhado, hoje diretora da proActive Consultoria – Assessora AQUA da Trisul.  O processo AQUA-HQE possui 14 categorias, que contemplam todas as diretrizes para o Alto Desempenho Ambiental dos empreendimentos minimizando os impactos ao meio ambiente e garantindo o conforto e qualidade de vida dos seus usuários.

Para ser Empreendedor AQUA, as empresas têm como missão certificar todos os seus empreendimentos com um escopo pré-definido. A partir do quarto edifício certificado na fase pré-projeto, já há o reconhecimento como Empreendedor AQUA.

Esse comprometimento demonstra que a Construção Sustentável é uma tendência forte no mercado da construção civil, e as empresas certificadas estão dispostas a firmar compromisso com a sustentabilidade.

As empresas que têm investido nessa certificação ao conceber seus lançamentos, tem conseguido obter ganhos consideráveis, como redução do consumo de água – em torno de 40%, e energia – por volta de 25%, contando ainda com uma taxa de beneficiamento dos resíduos na fase de obra de 70% no mínimo, implementando assim a redução do custo de construção, por meio de uma gestão forte e responsável.

Os ganhos mercadológicos também são relevantes, em pesquisa da Geoimóveis, feita em agosto de 2016, identificou-se que as edificações certificadas possuem 7% de melhora na vacância no Rio de Janeiro e 9,5% em São Paulo.

As construções verdes têm custos reduzidos de consumo de água e de energia na fase de operação e uso do edifício, o que garante taxas de condomínio mais baratas. Todos esses fatores agregados tem tornado o mdesses empreendimentos mais valorizados.

Além desses benefícios, mensuráveis a curto prazo, a inclusão dessas práticas sustentáveis pelas empresas garantem ganhos em qualidade de vida e bem estar econômico e social para aqueles que habitam e trabalham nestes empreendimentos, bem como para a região onde está instalado.

 

 

 

 

Vantagens do Selo AQUA-HQE em Evidência na Folha de São Paulo.

Mais uma vez o selo AQUA-HQE fica em destaque na mídia, dessa vez a Folha de São Paulo pontua o crescimento dos Selos Verdes em empreendimentos de médio e baixo padrão.

Concedida pela Fundação Vanzolini, a certificação AQUA-HQE é a única especialmente adaptada à realidade Brasileira, a partir do projeto de pós-doutoramento de Ana Rocha Melhado, hoje diretora da proActive Consultoria.

Recentemente a revista Téchne também enfatizou a receptividade do Mercado da Construção Civil ao Selo AQUA; segundo Ana Rocha Melhado, “as empresas estão percebendo que os retornos financeiros e institucionais superam os investimentos iniciais nas certificações”.

O investimento para prédios residenciais gira em torno de 1% a 3% do valor da total da obra, enquanto nos empreendimentos empresariais fica em torno de 3% a 7%, e já é comprovado que o valor do investimento retorna uma parte na fase de execução, com economia de água, energia e a correta gestão de resíduos no canteiro de obras, outra parte retorna durante a Operação e Uso – prédios verdes tem manutenção mais barata e vida útil mais longa.

O retorno institucional também é evidente, já que, no caso do AQUA-HQE, as 14 categorias contemplam todas as diretrizes para o Alto Desempenho Ambiental do Edifício, minimizando os impactos ao meio ambiente e garantindo o conforto e qualidade de vida dos seus usuários.

Todos os ganhos descritos tornam-se possíveis pois o processo AQUA-HQE tem como princípio uma forte e integrada Gestão Sócio Técnico Ambiental, desde da fase de projeto até a entrega da obra.           

Confira a reportagem:

materia-aqua-folha

http://acervo.folha.uol.com.br/fsp/2016/10/16/904/

Cadastre-se e receba Nossa News